Carnaval de Recife e Olinda

“Ei pessoal! Ei moçada! Carnaval começa no Galo da Madrugada!”

Vamos falar dessa festa linda, alegre, irreverente, espontânea… O carnaval!

Ah, o carnaval… Somos completamente apaixonadas por essa folia. E esse post não é sobre qualquer um não. É sobre o maior carnaval que você respeita: o de Recife e Olinda. Essas são duas cidades irmãs, então a festa de uma se mistura com a da outra. O esquema é “Olinda de manhã, Recife Antigo de noite”!

Super tradicional, o carnaval daqui é muito cultural e cheio de identidade própria! Ele representa uma mistura dos povos que influenciaram a cultura brasileira: negros, índios e europeus. Embalado nas marchas e passos de frevo, no batuque do maracatu e cheio de personagens típicos como o Homem da Meia Noite, os bonecos de Olinda, Maracatus, Papangus, etc, é um carnaval único!

Em Olinda, você pode curtir a folia nas ruas e ladeiras ou então em camarotes pagos. Os camarotes mais famosos são o Carvalheira na Ladeira e o Camarote Olinda, cujos ingressos podem variar de 250 a 1.000 reais, e contam com bebidas liberadas e shows de artistas famosos como Alceu Valença, Anitta, Wesley Safadão, Latino, etc. Eu nunca fui a nenhum camarote, gosto mesmo é do carnaval de rua, que é de graça e de todos. Adoro me fantasiar, ver os outros fantasiados, fazer amizade com pessoas que nunca mais vou ver na vida, andar pelas ruas e ver as casas decoradas, ver a criançada no quintal ou varandas com arminhas de água em punho pra molhar os foliões e refrescar a galera… Gosto disso!

Por lá, o carnaval é antecipado e as prévias já começam em janeiro, praticamente todos os fins de semana. E na segunda feira anterior à semana do carnaval, acontece a Noite dos Tambores Silenciosos, quando os maracatus se reúnem para homenagear a Virgem do Rosário, padroeira dos negros, decretando a abertura do carnaval. É uma cerimônia de sincretismo religioso, da religião católica e rituais africanos. Durante a escravidão, os negros não podiam manifestar suas crenças e tradições, então eles as realizavam em silêncio e às escondidas, por isso o nome Noite dos Tambores Silenciosos. Após o fim da escravidão, a tradição se manteve e com o tempo a celebração foi ficando maior.

O sábado de carnaval é o dia do famoso bloco Galo da Madrugada tomar as ruas do centro de Recife. Como esse é um dos maiores blocos do mundo, rivalizando com o Cordão do Bola Preta no Rio de Janeiro, nas ruas fica um amontoado de gente. Nunca fui nesse bloco, mas meus amigos que foram sempre dizem que o ideal é comprar ingresso pra algum camarote, pra curtir com mais conforto e tranquilidade.

Por ser o dia do Galo da Madrugada, o dia de sábado costuma ser mais tranquilo em Olinda, mas a programação de blocos é intensa. De manhã sai o bloco Mangue Beat, que toca as músicas de Chico Science, Nação Zumbi, Banda Mestre Ambrósio, entre outros, e os foliões pintam o corpo com argila pra simbolizar o mangue. De tarde sai o Esses Boy Tão Muito Doido, que você pode curtir já na concentração com open bar ou só acompanhar pelas ladeiras. Na meia noite de sábado, como acontece desde 1932, sai o tradicional bloco Homem da Meia Noite. O Homem da Meia Noite é um dos bonecos de Olinda mais antigos, com seu sorriso de dente de ouro, seu terno verde e cartola, ele representa uma calunga, elemento sagrado do candomblé, figura central dos cortejos. Ele foi carregado pelo bonequeiro Cidinho por 57 anos, que suportava com alegria o calor de mais de 40 graus dentro da roupa e seu peso de 50 kg.

No domingo a festa continua, e 10h o bloco Enquanto Isso na Sala da Justiça tem por tradição que o Homem Aranha desça de rapel de um prédio no Alto da Sé. É o dia de todos se vestirem de super heróis e a criançada adora.  Tem também um bloco super animado, o Vem tirar o queijo que tem uma vaquinha como símbolo.

Na terça feira, acontece o Desfile dos Bonecos de Olinda, um dos símbolos do carnaval de Olinda e uma herança européia, onde os bonecos acompanhavam as procissões religiosas no século XV.  O primeiro boneco gigante a desfilar em Pernambuco foi o personagem Zé Pereira em 1919, na cidade Belém de São Francisco no sertão. A tradição chegou em Olinda em 1932 com a criação do Homem da Meia Noite. Desde então surgiram muitos outros, entre eles personalidades como: Barack Obama, Papa Francisco, Xitãozinho e Xororó, Wesley Safadão, Freddy Mecury, Tite, Marta, etc… Neste dia também acontece o bloco Eu Acho é Pouco, que carrega o espírito daqueles que acham que é pouco mesmo, e os hinos são embalados debaixo de um dragão vermelho enorme.  E na quarta feira de cinzas, o bloco Bacalhau do Batata encerra a festa!

IMG_6689

Tem bloco pra todos os gostos e idades! Pra ver a programação completa do carnaval de Olinda vá para o site oficial clicando aqui.

Praticamente todos os blocos passam nas ruas dos Quatro Cantos (encontro das ruas do Amparo, Bernardo Vieira de Melo, Prudente de Morais e Ladeira da Misericórdia) e fica um mar de gente, quase impossível andar por ali! A rua do Bonfim e Mercado da Ribeira também são points bem animados, mas um pouco mais tranquilos. E a rua 13 de maio é onde se concentram os LGBT.

De noite, a festa se muda pro Recife Antigo, onde acontecem vários shows de artistas famosos no Marco Zero. As ruas ficam super lotadas, então se quiser curtir os shows com calma, recomendo ir pro camarote do Seu Boteco, que fica de frente pro palco e oferece comida e bebida liberadas.

O famoso Galo da Madrugada fica exposto na ponte Duarte Coelho, depois de percorrer a cidade no sábado. O “visual” do Galo é uma obra de arte mantida em segredo à sete chaves até o grande dia e no último ano (2017) homenageou a arte do grafite.

IMG_6443
O famoso Galo da Madrugada

Uma história do carnaval: Estava curtindo a festa na rua do Amparo, quando começou uma comoção, várias pessoas gritando e apontando pra cima. Quando vejo, era um folião vestido de Homem Aranha praticando Le Parkour (aquele esporte onde as pessoas vão pulando pelos telhados, sacadas, etc) nas casas de Olinda. Ele pulava de um telhado pro outro, de uma varanda pra outra, até que ele pulou numa varanda que tinha um garotinho de uns 5 anos. O pequeno ficou doido, super feliz! Abraçou o Homem Aranha várias vezes, entrou na casa e voltou vestindo a máscara do Homem Aranha, uma fofura, uma cena linda!

Daqui a pouco o Homem Aranha pula pra varanda do lado e adivinha quem estava lá? Daniel, meu marido! Ele estava na Pousada do Amparo, usando o banheiro do quarto de amigos que estavam hospedados lá, quando um funcionário da pousada bateu na porta e perguntou se o Homem Aranha podia pular na varanda. A varanda nem era dele, mas Daniel deu total autorização! E não satisfeito, subiu no aparador do lado do Homem Aranha a metros de altura! Coisas que só acontecem no carnaval de Olinda…

Meu esquema: Eu gosto de chegar umas 9h, horário tranquilo para passear pela cidade e com muitas famílias, crianças e idosos. Costumo ir de carro pra ter liberdade de voltar na hora que quiser e não me importo de ficar sem beber. Não é permitido entrar de carro no centro histórico de Olinda durante o carnaval, pois o fluxo de pedestres é super intenso (apenas moradores com carros adesivados entram), então estaciono no Estacionamento Legal. Lá você paga 10 reais e todos no carro ganham pulseiras que permitem continuar a viagem de ônibus até o centro histórico de Olinda. Os ônibus passam com frequência e é bem tranquilo de pegar. Lá pra 15h, bate a fome e nós almoçamos na Casa de Noca, um restaurante super simples que amo. Umas 17h estou voltando pra casa, morta de cansaço mas muito feliz!

Hospedagem: Geralmente, vou e volto de Recife, pois são uns 20 minutos de carro. Mas já me hospedei no Hotel 7 Colinas e adorei. Também no centro histórico, tem a Pousada do Amparo (os amigos que ficaram lá gostaram muito) e  a Pousada dos Quatro Cantos. Ambas uma graça! Mas se estiver em busca de algo mais barato, tem o Albergue de Olinda, o Maracatu Hostel e o Hostel Canto dos Artistas como opções. Além disso, nessa época de carnaval tem muitas casas pra alugar ali no centro histórico, então vale a pena olhar opções em sites como o Airbnb.

Algumas dicas:

  • Use roupas confortáveis e um tênis velhinho, desses que você não se importa de detonar.
  • Se alimente bem antes da folia e beba muita água, pois o calor é forte.
  • Não esqueça de usar protetor solar.
  • Pra mais informações sobre Olinda, como pontos turísticos e restaurantes, clique aqui.

É isso pessoal!

Se tiverem oportunidade, não deixem de participar dessa festa linda!

Beijos de purpurina,

Pri


Um comentário sobre “Carnaval de Recife e Olinda

  1. Pingback: Olinda

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s