São João de Campina Grande

Dizem por aí que o São João de Campina Grande é a maior festa de São João do Mundo… E eu acho que é mesmo! A festa nessa cidade do interior da Paraíba dura 31 dias (é a mais longa da região) e atrai cerca de 2 milhões de pessoas de todos os cantos do Brasil. É uma festa linda, bem típica, gratuita, com todas as comidas deliciosas de festa junina, bandeirinhas, muito forró e pra todas as idades. Mas também é um grande evento, com shows de artistas famosos, venda de ingressos pra camarotes e festas pagas.

Quando fui, era o último final de semana dos eventos de São João na cidade. Achei ótimo, pois não estava lotado. Deu pra andar tranquilamente e apreciar todos os lugares que fui, mesmo tendo bastante gente. Pra quem quer tranquilidade, recomendo não ir pra lá no feriado de São João, que costuma ser o mais lotado.

Durante o dia, fiquei no Sítio de São João, um espaço que reproduz uma vila sertaneja do Nordeste na década de 1940. A entrada custa 10 reais (5 reais a meia pra estudantes, idosos e crianças). Lá você vê a Igreja, Bodega, Casa de Farinha, Mercearia, e Casa de Taipa, tudo bem lindinho, com objetos reais da época. É uma viagem no tempo…

ARQJ5155

IABC0994
Vila Sítio de São João

Bodega e Mercearia 

Casinha típica

Casa de Farinha

Além disso, o espaço oferece restaurantes, barraquinhas de comida, parque com brinquedos pras crianças, tiro ao alvo, e claro, muito forró. No palco principal, tocava o forró eletrônico, no palco da palhoça, o forró pé de serra (meu favorito). E por todo lado, casais dançando, famílias, amigos, jovens, idosos, crianças… Um clima muito gostoso!

Nosso almoço, sobremesa e o forró rolando solto

De noite, o foco da festa é o Parque do Povo. A estrutura do parque conta com uma enorme fogueira cenográfica3 palcos (o principal em formato 360 graus pros maiores shows, um pra apresentações culturais e outro na Pirâmide tocando forró eletrônico e brega) e duas palhoças tocando forró pé de serra. Além disso, existe a cidade cenográfica que exibe réplicas dos principais prédios históricos de Campina Grande, como a Catedral de Nossa Senhora da Conceição, o Cassino El Dorado e os Correios e Telégrafos. Em meio a tudo isso, várias barraquinhas de comida, restaurantes e camarotes. Mais uma vez, vimos pessoas de todas as idades e muita alegria! Tinha bastante policiamento também. Comemos, bebemos, dançamos… Uma noite ótima!

Fogueira e prédios cenográficos

Palcos da festa

Capelinha de São João e alguns bares

Alguns dias marcantes são: 1) o dia de Santo Antônio, o santo casamenteiro, quando acontece o Casamento Coletivo de dezenas de casais no local; 2) o sábado anterior ao feriado de São João, quando acontece a competição de quadrilhas no palco coberto, na Pirâmide; e 3) no fim de semana do feriado, a quadrilha vencedora se apresenta ali e acontece uma sessão de fogos de artifício.

No dia seguinte, tomamos café e fomos pra Vila do Artesão. Lá são várias lojinhas de artesanato de couro, algodão, renda, madeira, barro, cachaças, etc… É o passeio perfeito pra quem está em busca de uma “lembrancinha” da viagem ou quem quer apenas conhecer um pouco do artesanato nordestino. A vila também tem um espaço gastronômico com opções de comidas típicas e uma casinha de taipa pra visitação.

Vila do Artesão

Saímos da Vila do Artesão e fomos pro restaurante Casa de Cumpade, no distrito de Galante (40 minutos de carro). Lá acontece o Arraiá de Cumpade, uma festa paga e menor que a festa do Parque do Povo. Como fomos no último fim de semana de festividades do São João, não pegamos o Arraiá de Cumpade acontecendo e o restaurante estava funcionando normalmente. Tinha uma banda de forró pé de serra só pra não perder o clima de São João! 🙂

O restaurante do premiado Chef João Barreto, referência na cozinha paraibana, tem uma vista verde linda e uma vila cenográfica com réplicas de casinhas típicas e igrejinha matutas. 

Vila cenográfica

A comida é deliciosa! Pedimos o prato de carne de sol pra dividir por 4 pessoas, acompanhado de macaxeira frita, arroz de leite, arroz branco, pirão de queijo, vinagrete, farofa e feijão tropeiro (80 reais). A única coisa é que o restaurante não aceita cartão, então leve dinheiro vivo.

Restaurante Casa de Cumpade

Como ficamos só um final de semana, não deu pra fazer tudo. Então aqui vai uma lista de coisas que quero fazer na minha próxima ida ao São João de Campina Grande:

  1. Andar na Locomotiva do Forró Nós fomos pra Galante de carro, mas tem um jeito muito mais legal de ir pra lá: pegando o Trem Forróviário, o trem movido à forró 🙂 O trem sai da Estação Velha de Campina Grande e cada um dos seus 8 vagões possui um trio de forró pé-de-serra pra você dançar durante todo o percurso.
  2. Ir no Bar do Cuscuz, um bar famoso da região. Chegar cedo porque lota.
  3. Ver o pôr do sol no Açude Velho, o principal cartão postal de Campina Grande. Ele foi construído em 1800 e já abasteceu a cidade. Hoje o manancial é um bom lugar pra se exercitar, cercado por pistas de corrida e ciclovia.
  4. Conhecer o Museu de Arte Popular da Paraíba (MAPP) ou Museu dos Três Pandeiros, às margens do Açude Velho. Uma obra de Oscar Niemeyer. Entrada gratuita.
  5. Ver dois monumentos, também nas margens do Velho Açude: a estátua dos “Pioneiros da Borborema”, representados pelo índio, pelo tropeiro e pela mulher catadora de algodão e a estátua de Luiz Gonzaga e Jackson do Pandeiro.

Pra ver a programação completa do São João de Campina Grande, clique aqui.

Onde ficar? Tentei ficar no Hotel Serrano, conhecido como o melhor custo x benefício da cidade, mas o hotel estava lotado. Então, se quiser ficar lá, reserve com bastante antecedência. Acabei ficando na Pousada Maanaim, uma pousada bem simples que estava funcionando há apenas 1 mês. Tudo novinho, limpo e com um bom café da manhã. A diária foi 350 reais e achei caro pro que a pousada oferece. Mas era época das festas de São João e tudo fica mais caro mesmo. Outras opções são: Hotel Campina Plus, Nord Easy Campina Grande e o Garden Hotel Campina Grande.

Como chegar? Campina Grande fica a 130 km da capital João Pessoa. A cidade tem aeroporto próprio mas, como recebe poucos voos, as passagens costumam ser mais caras. A opção mais barata talvez seja voar até o aeroporto de João Pessoa e seguir até Campina Grande de ônibus ou carro alugado.

Nós saímos de Recife e dirigimos por 3h30 até Campina Grande. Na ida, o GPS nos indicou o caminho pela BR 408 (por Caruaru) e BR101  que, apesar de ser mais perto, é a pior opção porque a estrada é bem ruim. É melhor ir só pela BR 101.

Dicas:

  • As temperaturas são baixas durante a noite, por isso levem calça e casaco.
  • Usem os aplicativos de transporte pra se locomover pela cidade (Uber, 99, Easy Taxi). É tudo bem pertinho então as viagens são baratas.
  • Quando o assunto é o São João, existe uma grande disputa entre Campina Grande e Caruaru, em Pernambuco. Eu gostei mais do São João de Campina Grande. Achei mais organizado, com mais opções de coisas pra fazer, menos lotado, mais famílias e idosos na rua… Mas o São João de Caruaru tem uma pegada mais cultural, o artesanato de barro nasceu lá e isso é muito forte. Eu recomendo que você vá nas duas festas e tire suas próprias conclusões. 🙂 Minhas dicas do São João de Caruaru estão nesse post.

Se você adora uma festa junina, vale a pena ir pra Campina Grande nessa época!

Beijo,

Pri

 

 

 


Um comentário sobre “São João de Campina Grande

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s